Thursday, 6 December 2007

O Tejo cabe num Bar?

Assim como a água que passa num rio nunca é a mesma, também não há uma noite igual no Tejo Bar. Por aqui passa o fado vadio, o tango, as "Dunas" dos GNR...por aqui se joga xadrês ou às cartas, recita-se um poema em cima da cadeira...na maioria das vezes basta um acorde numa das guitarras disponíveis para se iniciar desde logo uma cumplicidade entre os "músicos" que surgem de onde menos se espera (até porque a sala do "nosso" bar nem é grande...). O Mané [que pinta com] Café (o nosso anfitrião poeta, pintor, músico e o que mais se quiser) resolveu há uns anos seguir à risca a teoria de que só se foge de uma mulher mudando de continente e abriu este oásis alfamense muito perto da Igreja de Santo Estevão. No Tejo Bar (que alguém já apelidou "o centro cultural mais escondido do mundo") somos nós que nos servimos, e se a nossa garganta tiver dúvidas, lá estará o Sérgio (o outro pilar do nosso bar) para dar uma sábia ajuda. Apetecia-nos bater palmas por haver um lugar assim...mas o Tejo Bar tem outras formas de aquecer o nosso coração ;-)
O Tejo Bar pode ser visitado sempre que quisermos...basta encontrá-lo, bater à porta e depois...

A Conserveira é fish!

Quase de certeza que não existe outro local como este em Lisboa! Aqui o negócio são as conservas - as melhores, dizem, de Lisboa. De atum, de sardinha, de bacalhau, mais ou menos picantes, em azeite ou em óleo, há para todos os gostos. Cuidadosamente embrulhadas pela sabedoria de mãos bem... conservadas, cada embalagem é uma peça de arte, seja ela Tricana, Minor ou Prata do Mar. O atum vem dos Açores, as sardinhas de Matosinhos e as enguias da Murtosa. Não é por acaso que A Conserveira de Lisboa, única no seu género, existe desde 1930 e é procurada por clientes vindos de todo o mundo.


As melhores conservas da cidade, estão na rua dos Bacalhoeiros, nº 34, na zona da Baixa.

Uma Vida (tão) Portuguesa

Na zona do Chiado, há um "museu" sobre o melhor do nosso Portugal cuja particularidade é o facto de podermos levar para casa as peças expostas! Passamos a explicar...A Vida Portuguesa é uma daquelas lojas que vale a pena visitar com uma máquina fotográfica na mão. Aqui, no antigo armazém e fábrica de perfumes da David & David, podemos encontrar as marcas que fazem parte da nossa história e às quais, porventura, nunca atribuímos o devido valor: Os lápis Viarco, as bordados de Viana, o Azeite Triunfo, o chá Gorreana, as farinhas Zelly, o limpa metais Coração, os Sabonetes Ach. Brito e Confiança, os cadernos Emílio Braga, as famosas andorinhas de Rafael Bordalo Pinheiro ou os azulejos Viúva Lamego. Produtos (muitos deles genuinamente portugueses) que valem a pena uma prolongada e atenta visita. O espaço é belíssimo e fica ali no nº 12 da Rua Anchieta (a rua que faz esquina com a Livraria Bertrand).